Páginas

domingo, 25 de dezembro de 2011

O Natal é um estado, não um evento!

25 de dezembro de 2011. Pelos rumores e calendário maia ano que vem o mundo terá acabado...(piadinha!) Aproveito e escrevo este ano, então! Na fé cristã, hoje seria o nascimento do menino, do Salvador, de Jesus! Não sou muito cristã, mas tenho fé! Nesta época do ano somos atrolhados de amigos secreto, festas, comilanças, reuniões e jantares com família. Por vezes até gostamos, outras tantas cumprimos obrigações. Nossas cidades possuem decorações que deixam os turistas enlouquecidos, espetáculos natalinos, trânsito caótico...e por aí vai.
Me pergunto: Natal é um estado ou um evento? Quando falo que não gosto de Natal, as pessoas me olham atravessadas, como se eu estivesse profanando este "espírito natalino". Nem quando criança gostava, morria de medo do Papai Noel e na maioria das vezes nunca ganhei nada do que pedi. Minha família nunca foi tradicional, existia uma tentativa de "unir" a família no Natal, mas sempre lembro de passar essa data com vizinhos, amigos ou simplesmente não comemorar. Natal sempre teve um tom melancólico, eu nunca entendi bem porque...Agora começo a entender...
Não gosto de Natal não pelo que realmente representa, mas como ele tem sido na mídia, na vida real...consumo, reuniões, presentes trocados, abraços dados, quase ritualísticos. Gosto do simples, gosto da quebra do ritual. Acho hipócrita reunir família quando esta, briga o ano todo (aqui falo da minha unicamente). Qual o sentido de trocar presente e abraçar pessoas que não querem isso. É preciso existir uma vontade, um querer de coração e não sinto isso...
Trabalhar no Natal sempre pareceu uma boa saída para mim, até ter uma filha que adora Natal, árvore, enfeites,e todo o hohoho que vocês já sabem. Procurei não quebrar o ritual dela, mas não mudei o meu modo de pensar. Me diverti mais apenas, confesso...
Natal não é um evento, uma data, um ritual, um "reunir", um "presentear", uma "comilança absurda", Natal na verdade é uma data inventada por nós, seres humanos que passou a ser celebrada no mundo, com diferentes tradições. Palavra chave: "tradição"
Me desculpem os cristãos, os tradicionais, os natalinos convictos, os "família unida", os doentes por ceias exuberantes, os malucos por árvores e enfeites, Natal pra mim é um estado de espírito que deveria durar todos os dias...porque presentear só no fim do ano? Por que reunir a família para ceia só no fim do ano? Por que fazer amigo secreto só no fim do ano? Por que enfeitar a casa  e tantas outras coisas só no fim do ano...e pior, por que só refletir e pensar na vida só nesta época?
Tenho sido forçada a fazer isso em todo 2011, então posso dizer que pra mim, pela reflexão, Natal foi todos os dias...me reuni com muitos, recebi sim muitos abraços, nem todos eram verdadeiros, mas recebi. Me afastei de pessoas que nunca pensei ser possível, fui afastada também por outras que diziam me amar, amei, fui amada, na mesma proporção que excluí e fui excluída...Vida real meus caros!
Se eu tinha medo do Papai Noel na infância agora tenho medo da vida real, mas não fujo dela como fazia com o Noel e chorava, encaro, mesmo com dor, com medo, frustrada, desacreditada, eu vou!
Peito aberto! Peito cheio de cicatrizes das batalhas travadas em guerras pessoais, seguindo!
Nessa época em que todos tem frases feitas para postar, frases célebres para falar, religiões para celebrar, amigos "de fé" para se apoiar...eu vou indo! Não me apoio em nada. Pés no chão, mãos livres, olhos mesmo marejados, mas firmes!
Não me entrego ao acaso, não desisto por pouca coisa, não julgo sem ter certeza e quando o faço se possível, revejo e me desculpo. Sou eu, mais velha, mais lúcida, menos "tradicional". 
Que possamos viver cada Natal não como um evento consumista, mas como um estado de espera e de busca, de palavras silenciosas, de procura acabada...que possamos brindar a vida, com a saúde que nos foi dada, com o talento que cada um tem e sabe que tem, com a fé...independente de qual for...
Isso pra mim é o "estado" de Natal...um estado constante de alerta sobre nós mesmos!!!
Então, feliz natal a todos nós, seres em alerta constantes...


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

A verdade, sempre a verdade


O que é real de fato? A verdade! Em qualquer época da história homens guerrilharam por falta dela e outros mentiram por ela. Mas não temos histórico daqueles que nessas lutas, deram sua própria vida por ela. São pouco, raros. Sabemos de muitos heróis que "empunharam bandeiras" em nome de outros, mas não pela sua verdade. Pela sua própria verdade.
Verdade é agir com justeza, exatidão, ter boa fé. Convenhamos que não é algo que ache fácil nas pessoas hoje em dia, se tem ou não. Talvez até se adquira com o passar dos anos, mas não sejamos tolos, ninguém consegue ser verdadeiro sempre. 
Às vezes escondemos a verdade de nossos filhos, achando que assim estamos protegendo-os, outras vezes escondemos a verdade de nossos amantes, com o medo de perdê-los para sempre se souberem realmente "tudo". Em outros momentos escondemos a verdade aos nossos empregadores em nossos trabalhos, engolimos nossas vontades para satisfazer o outro. Agora, quando escondemos a verdade de nós mesmos, aí sim, perdemos o senso da realidade e nos entregamos a frágil ideia de que "não, não pode ser..."
Sejamos honestos! Amigos vem e vão, amores vem e vão, empregos vem e vão, nós sempre ficamos. Nós e nossos princípios, nós e nossas verdades.
Se não fosse assim, não entraríamos neste mundo e sairíamos sozinho. Deve haver algum ensinamento para isso. Quando sofremos ou somos colocados à prova nos damos conta das nossas verdades. Será que temos que sempre passar pelo "pior" para enxergar isso? 
Quantas pessoas assumem a "verdade" dos outros hoje em dia? Quantas pessoas proferem frases feitas e discursos elaborados de pessoas que elas nem conhecem ou mal estudaram? Quantas pessoas mentem, roubam, excluem, deixam de lado, falsificam, por uma verdade que nunca foi deles.
Autenticidade meus caros, é uma característica que está quase em extinção nos dias de hoje. Tenho presenciado pessoas que passam a agir de "tal forma" em função de outras, que tem na cabeceira a filosofia do fulano que acreditou no ciclano e tudo não passa de uma grande faz-de-conta poético verborrágico.
O que é verdade realmente? O que nós sentimos, o que faz nossas pernas tremerem, o que acelera nosso coração quando pensamos, o que nos deixa aliviados e tranquilos quando agimos com ela, a verdade.
Dizem que ela mais cedo ou mais tarde "aparece"! Acho isso quase errôneo, algo não pode aparecer do nada, pela lógica, nunca deixou de existir, de atuar...
Como vivemos num mundo podre,  quando digo podre, é podre de valores, de arrogâncias jogadas no espelho, de mentiras que atuam como verdades pessoais até que se prove o contrário, de gente que ontem vivia ao seu lado que hoje anda na sua frente fingindo que nunca te viu, temos que aplaudir de pé quando aparecem seres humanos que possuem a grandeza, a nobreza, a elegância (sim porque ser verdadeiro é também elegante) de serem verdadeiros.
Ser verdadeiro é não ser alheio ao mundo, é não ser alheio de si mesmo, é lutar pelos seus valores mesmo que todos digam que é ultrapassado, é jamais ser vil, mesquinho, arrogante, medíocre, hipócrita, sínico, falso e interesseiro. Ser verdadeiro é ser você com toda sua gama de defeitos e assumi-los também como verdade genuína de você! Esta é sua verdade! Este é quem você realmente é!

domingo, 4 de dezembro de 2011

O DOENTE IMAGINÁRIO

É amanhã! Com sessão extra dia 11 de dezembro às 22h30min. Prestigie!
No elenco: Matheus Kohler, Jazi Kolrausch, Kalidja Frizzo, Isadora Santos, Karla Ferreira, Dafne Schmitt, João Pedro Lipert, João Vitor Fernandes, Bernardo Lessing, Tiago Severo, Natacha Soranso, Cristiano Tomazelli, Tiago Cardoso e Cassiano Silveira.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Mandela e eu...

Nelson Mandela diz: "Nosso medo mais profundo não é crer que somos inadequados. Nosso medo mais profundo é saber que somos poderosos além da conta. É nossa LUZ que nos assusta. Nos perguntamos: Quem sou eu para me sentir brilhante? Mas, na realidade, quem é você para não se sentir assim? Seu jogo de ser insignificante não serve ao mundo. Não tem nada de iluminação em fazer-se menor com a finalidade de outras pessoas não se sentirem inseguras ao seu redor. Todos podemos brilhar, tal como fazem as crianças. Todos nascemos para manifestar a Glória de Deus, que se encontra em nosso interior. Esta Glória não está dentro de uns, está dentro de todos nós. E, quando permitimos que nossa própria luz brilhe, inconscientemente damos oportunidade à outras pessoas para fazer o mesmo. Á medida que vamos liberando nossos medos, nossa presença libera os outros automaticamente."
Nesse momento, quem sou eu para não brilhar e não acreditar na minha luz, ora bolas! Mesmo que a luz esteja um pouco fraquinha agora, ela voltará com intensidade total e logo, ah voltará!!!

sábado, 19 de novembro de 2011

UMA HISTÓRIA DIFERENTE

Amanhã às 19h no Teatro Casa de Pedra o Grupo Retrô de Teatro (meus alunos do Centro de Convivência Municipal do Idoso) apresentarão a peça "Uma História Diferente" escrita por mim em 2008.
No elenco 14 alunos recontam os contos clássicos infantis. Ingressos podem ser adquiridos no local a R$ 10,00. Antecipados R$ 5,00 com integrantes do grupo.
Prestigie! Você vai rir e se divertir muito com a mal educada da Chapeuzinho, um lobo que quer ser bonzinho, uma bruxa apaixonada, entre tantos outros personagens...

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

PASSANDO MINHA VIDA À LIMPO!!!

Sim, a vida está corrida mesmo, que tenho passado pouco por aqui. Entre projetos, sonhos e realidade, eu, meu grupo, meus amigos estamos seguindo. 
A sensação é única: passar a vida à limpo! Tirar de vez o que não serve, o que já foi, desengavetar velhos sonhos, arrumar novos projetos, não ter medo de errar, dizer sim mesmo quando tudo indica não!
Milhões de coisas acontecendo. Milhões de coisas ainda por vir até fim do ano. Respostas sendo aguardadas, outras dadas de forma brusca. Convicções de velhas decisões, que estavam acertadas.
Busca! Tempo passando, todos nós correndo, mas não mais contra o tempo, agora, JUNTO COM ELE!!!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

GRUPO ARTIGOS NO BONECOS CANELA 2011


Dia 30 de setembro o Grupo Artigos reestreou seu espetáculo "Criança Não Faz de Conta" desta vez com Carla Ferreira, Julio Zaicoski e Julio Kraemer com a maravilhosa trilha sonora original de Allex Bessa.
Teatro Municipal lotado de crianças queridas, carismáticas e super participativas durante o espetáculo. Mais uma vez a energia "criança" contagiou todo mundo, atores e plateia fazendo uma verdadeira simbiose.
Agradecimentos especiais a : Fundação Cultural de Canela, a Lennon Ortiz nosso iluminador que se virou nos 30 com tanta função no Bonecos, a Matheus Kohler que reformou, pintou e organizou a caixa preta, a fotógrafa Nega Márcia que mesmo no meio da loucura teve tempo para nos fotografar, a Allex Bessa que de SP resolveu algumas pendengas de autorização para ECAD, à equipe técnica do teatrão que foi maravilhosa com a gente, e claro, ao meu elenco do bem,que topou remontar a peça em um mês, vestiu a camiseta e foi à luta.
Pois bem, que venham milhares de apresentações para a gente! Evoé!
Como diz Kalunga no livro que inspirou a peça:

"Criança não faz de conta
Vive a mostrar o que sente...
Chorando se está tristinha e sorrindo de está contente!

Por isso muito cuidado!
Criança não faz de conta
Ela gosta da verdade
A mentira a desaponta..."

Nossa maior verdade é nosso trabalho feito com tanto carinho e comprometimento para essa galerinha que não faz de conta e fala o que sente para a gente, inclusive no meio da peça...




domingo, 18 de setembro de 2011

Dividida entre o mar e o riacho...

A imensidão do mar, a força do mar, a obscuridade do mar, a aparência calma com profundidade que só ele tem. Tantas vezes me senti assim. Pés na areia, olhos fixos nele, linha do horizonte... Molho os pés, mexo na água, piso em falso, mergulho a cabeça , sinto o cheiro, até mesmo o gosto, volto pulando ondas. Mesmo desconhecido, me sinto em casa. Desconfortável para uns, revitalizante pra mim. Não tenho medo, me sinto parte dele. Justamente após a forte tempestade é quando ele está mais pleno e bonito. O movimento das suas ondas, que tudo levam e tanto trazem...Já tive fases como o mar...de ondas calmas, ondas turbulentas, bandeira branca, bandeira vermelha, por vezes preta. Mas não tinha nenhum salva-vidas. Era só eu e ele. Nadar ou morrer no mar...entregar-se ao seu fluxo ou estagnar na areia. 
Agora estou um pouco mais riacho...
A calmaria do riacho, a serenidade do riacho, a transparência do riacho, o fluxo do riacho.
Agora sento na pedra, molho os pés e consigo enxergar outras pedrinhas...O mesmo som...
O mesmo caminho...a diferença? Pedras com limo. Vegetação próxima. Cheiros...Não quero mergulhar, quero fechar os olhos apenas e sentir... Uma pausa estratégica para o que virá...Já sei lidar com chuvas tempestivas ou com pedrinhas lisas, já sei pular ondas ou atravessar o rio apoiando os pés na pedra...sei tanto mas que serve pouco...
As dualidades...as dúvidas...os medos...as diferenças...os ciclos...as alternativas...as milhões de perguntas...as várias respostas...os confrontos...as neuras...os balanços de vida, os recomeços...as novas ideias despertando e sobrepondo-se as velhas ideias que um dia já foram novas...mas o rio em algum ponto encontra o mar...e juntos misturam-se...unem forças, agregam-se.
Agora me vejo entre o poder e a força do mar contraponto a calma e vivacidade do riacho. Um pé lá outro cá...Não sei viver sem os dois...mas sei que juntos só no fim, e eu ainda estou no meio do caminho!
No meio em todos os sentidos, em todas as relações, humores e afetos.
Que eu saiba então me redimir do meu lado maremoto e use a força dos ventos para navegar em mares turbulentos ou que apenas eu sinta que algumas coisas simplesmente precisam seguir da mesma forma para o mesmo lugar, durante muito tempo até terminar seu curso como o riacho...

domingo, 28 de agosto de 2011

O PONTO DE PARTIDA

Hoje li em um livro que o mundo exterior é a reprodução do nosso mundo interior e que todas as respostas sempre estão dentro de nós...
Pensei: "Merda, é bem isso..."
Este ano sinto que estou sendo arremessada a um ponto de partida, quando acho que as coisas engrenam, lá estou novamente retornando, recomeçando... O que estou fazendo errado? Ou, o que não estou fazendo? O que não estou enxergando? Que padrão estou repetindo?
Novamente estou eu em um ponto de partida para o profissional, outro ponto de partida no familiar, um novo ponto nos relacionamentos...
Eu tenho força de vontade, mas talvez me falte mais determinação em algumas coisas...Após o Circuito de Humor do Sesc com a "Encalhada", que por sinal foi um sucesso, voltei pensando: "E isso! É isso que eu quero para minha vida profissional!" Agora estou focando só nos meus projetos e no meu trabalho. Este é o novo ponto de partida e seguindo o meu coração, espero realmente ter feito a escolha certa.
No relacionamento amoroso, tento esquecer coisas do passado e não ficar retornando, comparando, é um erro. É um nova pessoa, com novos sentimentos, numa situação completamente nova. Estou neste ponto de partida totalmente novo, fora da minha zona de conforto, sentido coisas que há muito tempo não ousava ou me permitia sentir...Finalmente apareceu alguém que vale a pena! Alguém merecedor de todo o meu amor...e é só isso que posso dar neste momento...e talvez seja só isso o necessário. O amor!
Na família, outro doido ponto de partida...parece que voltei a ser adolescente morando com minha mãe. 
Mas o que são pontos de partida? São situações que optamos e nos permitem retroceder e fazer novas escolhas. Eis aí o ponto!
Partir novamente, enfrentar situações desconhecidas,sofrer, rir do desconhecido e chorar deste mesmo desconhecido.Já não tenho mais medo, nem me deixo influenciar por ele. Não é esta a palavra certa.
Sinto uma angústia constante no peito, tem muito ainda o que fazer e aprender. E essa angústia não passa nunca. Meu espírito está me empurrando para todo este novo. Sinto isso!
Tenho jogado tanta coisa para o alto que há algum tempo nem cogitava jogar.Me afastado de uns, me acarinhado com outros...
Toda vez que penso bobagens, paro,respiro, deito alguns minutos e choro...aí começo a rir...penso como sou idiota e de como a vida está aí...pronta, me esperando tomar as rédeas.
Começo meu processo de eliminar desculpas. Chega delas!Agora, mais que nunca, elas não fazem sentido.
Já começo a me deslocar do meu ponto de partida, não sou do tipo que fica parada por muito tempo.
Ainda me boicoto, ainda sou minha pior inimiga,mas estou aprendendo a lidar comigo, tarefa árdua confesso, mas quero ser melhor em todos os sentidos. Ser humano com H de verdade. Íntegro!
Ainda não estou vendo minha linha de chegada, ainda há muito nebulosidade no caminho, mas sei que lá no final vai ter um sol enorme brilhando,porque se tudo que acontece é por merecimento, eu MEREÇO SER FELIZ e farei de tudo neste novo ponto. Estou indo, me deslocando por aí, nos pontos de partida.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Meu carinho ao "povo" da Escola das Artes


A arte nos conduz a um processo de inspiração criativa, o ser humano mergulha em um sonho de prazer, imaginação e enriquecimento de sua existência. A arte tem vários significados, mas o que ser arte para uns, poderá não ser para outros.
Na Escola das Artes, respiramos sim, por três anos, arte. Seja na Escultura, no Teatro, na Dança, no Circo, no teatro de Bonecos, na Música.
Aqui começamos a controlar nossas emoções e transformá-las em criação.
Arte é sempre criação!
Nós, artistas, somos intensos!
Amamos mais que os outros.
Criamos mais!
Vivemos mais!
E, claro, sofremos mais!
Estamos sempre á flor da pele!
Nas últimas semanas, tiraram nosso ‘’chão’’ e não nos ensinaram ainda a andar no vazio.
Ouvimos que agora ‘’os caminhos estão abertos’’.
Mas se estão abertos, que direção devemos seguir?
Confusão. Medo. Desapego.
Tiramos força de onde nem sabíamos que tínhamos.
E que força!
Choramos! Um choro sofrido...
Recebemos abraços apertados de amigos que nem lembrávamos mais, mas também nos decepcionamos com comentários de outros tão íntimos.
Nos reunimos enquanto professores, falamos, pensamos, buscando soluções.
Mas artista não é burocrático, artista é bicho estranho!
Não gosta de ficar parado.
Não pode ficar parado!
Artista tem uma válvula interna instigante. Uma bomba relógio de idéias.
Artista nunca se dá por vencido, não tem medo do desconhecido, não tem medo de recomeçar.
Tiraram nosso chão sim, mas não nosso talento e nossa capacidade de criação, ou seria regeneração?
O momento é difícil? É! Tanto para professores, alunos, amigos da escola, mas é justamente nos momentos de maiores adversidades que crescemos.
Colegas professores, usem sua arte, acreditem em vocês e em tudo que batalharam para chegar até aqui. E tem tanto ainda para vir...
Alunos, não deixem o poder de criação estancar em vocês!
Arte é contagiosa e não existe prescrição médica. Abusem dela!
Pais, continuem apoiando seus filhos como faziam, agora eles precisam disso mais do que nunca. E não lamentem!
Não somos vítimas! Somos seres plenos, capazes de seguir mesmo quando tudo nos põe na estaca zero.
Que a arte nos dê o Norte!
Quando a escolhemos como filosofia de vida, sabíamos que não ia ser cômodo.
Que ela, a arte, nos impulsione pelos palcos da vida, que nos coloque à frente de outros desafios, que nos faça cada vez mais GENTE!
Fecharam a nossa escola, mas ela estará sempre viva aqui, em nossos corações! MERDAAAAAAAAAAAA!!!



terça-feira, 19 de julho de 2011

Sarau Poético foi um Sucesso!!!

 Neste domingo que passou, diga-se, extremamente chuvoso e frio, meus alunos e alunas do Centro de Convivência Municipal do Idoso de Canela apresentaram um "Sarau Poético" dentro da Temporada de Inverno  no Teatro Casa de Pedra.
Foram escolhidas poesias de: Vinícius de Moraes, Fernando Pessoa, Clarice Lispector, Cazuza, Lya Luft, Arnaldo Jabor, Luís de Menezes e a da própria aluna Vera Malanga.
 Um público maravilhoso e "diferente" compareceu às 18h sob uma chuva que deixaria muita gente em casa para prestigiar o trabalho de 15 alunos que subiram ao palco, alguns inclusive pela primeira vez, superando limitações, medos, inseguranças e sobretudo trabalhando a auto estima.
Uma tarde especial. Um trabalho simples, sem grandes pretensões mas feito de uma vontade absurda tanto minha como deles, de uma entrega de dar inveja há muita gente que se diz artista por aí.

Em cena falávamos de amor. Quase um clichê num sarau, mas que deixou em alguns momentos a plateia com um nozinho na garganta. 
No final aplausos empolgados de uma plateia que ficou de pé e gritou 
"BRAVO".
Talvez alguns digam: "Ah, era uma plateia conhecida de amigos e familiares". É verdade, era mesmo! Mas quando a gente conhece a realidade das pessoas que trabalhamos, sua gama de vivências, suas dificuldades e sobretudo, o preconceito que enfrentam por decidirem pisar no palco quando muitos se aposentariam nesta idade, dá vontade mesmo de aplaudir de é e gritar muitos "bravos"...
Meus agradecimentos especiais a Dalva,coordenadora do Centro que me chamou para trabalhar, ao Lennon Ortiz que criou gentilmente a luz, ao Matheus que ficou na bilheteria, a Marcia Nega que fotografou cada momento e ao apoio da Farmácia Vital Genéricos que custeou as aulas de teatro para essa galera.
Meu maior agradecimento a Deus, meu guia, seres da divina luz que me propiciaram encontrar essas pessoas maravilhosas e me inspiraram com ideias nos momentos que solicitei. OBRIGADO!!!

Grupo de Alunos do Centro

segunda-feira, 11 de julho de 2011

PREMIADOS DA I MARATONA DE MONOLOGOS



PREMIADOS DA MARATONA DE MONÓLOGOS

Encerrou neste final de semana, a I Maratona de Monólogos de Gramado que se realizou no Centro Municipal de Cultura Arno Michaelsen no atelier, com o alunos de teatro da atriz , diretora, professora e criadora do evento,Lisiane Berti.
Passaram pela maratona doze alunos que apresentaram textos próprios ou de autores conhecidos como Nelson Rodrigues, Elisa Palatinik, Bertold Brech, Juan Savedras, entre outros. Toda a criação e concepção dos monólogos foi dos alunos que participaram de um debate com jurados e platéia após as apresentações de cada noite.
A comissão julgadora foi composta por Carla Ferreira atriz e professora de teatro, Julio Zaicoski, ator e diretor e Rodrigo Cadorin, tenor e diretor.
Os alunos concorreram a três prêmios: Melhor Monólogo Júri Popular, Melhor Monólogo e Melhor Interpretação. O troféu foi especialmente criado pela artista plástica Rita Gil que o batizou como “Troféu Elisabeth Rosenfeld”.

Os premiados da maratona foram:
Melhor Monólogo Júri Popular: “Anticorpus” de Matheus Kohler
Melhor Monólogo: “A Mosca” de Bernardo Lessing
Melhor Interpretação: Cassiano Velho em “Dependência”

O evento teve o apoio de:
MAGIA SOBRE RODAS- ACADEMIA DE PATINAÇÃO
PASTELEIRO – PROVOU,GOSTOU
ATTITUDE MOVEIS
REK PARKING
FOREST
NATURALLY MODA NIKE
PELLES GRAMADO
DORMINHOCO PIJAMAS
FLORYBALL
LAS MODITAS

Meu sincero obrigado aos alunos, jurados, apoiadores, Rita Gil e pessoas que de uma forma ou de outra ajudaram na realização deste evento. 
Como diria Artaud:

"A vida é a imitação de algo essencial, com o qual a arte nos põe em contato."

quarta-feira, 29 de junho de 2011

"A Encalhada" na Temporada de Inverno de Canela

Maria do Amparo está de volta!!!

Foto David Keller


Maria do Amparo, 34 anos,professora e totalmente encalhada! Enquanto ela não encontra o príncipe do cavalo branco, a metade da laranja ou a tampa da panela,ela vive sua rotina bebendo vinho tinto, olhando seu filme preferido e chorando no chuveiro, tentando assim, ser feliz sozinha!

Dia: 16 de julho
Hora: 20h
Local: Teatro Casa de Pedra
Ingressos:R$ 10,00 (antecipado na Fundação Cultural de Canela) ou R$ 15,00 (no local)
Mais informações: www.grupoartigos.com.br

domingo, 26 de junho de 2011

PROGRAMAÇÃO OFICIAL DA I MARATONA DE MONÓLOGOS



PROGRAMAÇÃO OFICIAL DA I MARATONA DE MONÓLOGOS DE
GRAMADO
08,09 E 10 DE JULHO DE 2011



08.07.11 (Sexta-feira):

20h – “A Valsa nº 6” de Nelson Rodrigues com Kalidja Frizzo
20h15min – “O Paranóico e Mestre Pierre” com João Vitor Fernandes
20h30min – “Minhas Queridas” de Clarice Lispector com Isadora Santos
20h45min – “Delírios de uma Drag” texto e interpretação de Tiago Cardoso
21h – Bate papo com platéia, jurados e alunos de teatro

09.07.11 (Sábado)

20h – “Anticorpus” texto e interpretação de Matheus Kohler
20h15min – “Gueto” adaptação de Lisiane Berti com Natascha Soranso
20h30min – “Um alguém, mas quem?” texto e interpretação de Tiago Severo
20h45min – “Fábulas da Minha vida” de Lisiane Berti com João Pedro Lippert
21h – Bate papo com platéia,jurados e alunos de teatro

10.07.11 (Domingo)

20h – “Essa Propriedade está Condenada” de Tenessee Willians com Dafne Ecker
20h15min – “Dependência” de Tiago Melo com Cassiano Velho
20h30min – “Duas Bolas” de Danusa Leão com Karla Ferreira
20h45min – “A Mosca” de Juan Sevedras com Bernardo Lessing
21h - Premiação

Ingressos:R$ 5,00 (antecipado com alunos ou no local)
Local: Centro Municipal de Cultural Arnold Michaelsen (atelier)
Comissão Julgadora: Rodrigo Cadorin, Carla Ferreira e Julio Zaicoski
Prêmios: Melhor Monólogo, Melhor Monólogo Júri Popular e Melhor Interpretação (troféus confeccionados pela artista plástica Rita Gil)

Apoio Cultural:

Móveis Ecker
REK Parking
Forest
Centro Municipal Arnold Michaelsen

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Saíndo da Contramão? Nada disso!

Quantas vezes você já esteve em lugares onde se sentiu um peixe fora d'agua? Quantas vezes você foi em festas que todos diziam que era o máximo e você não achava a menor graça? Quantas vezes você acompanhou pessoas para ir em exposições, cinema, teatro onde era a sensação do momento e você achou um verdadeiro saco! Calma,você não tem problemas, você só vive na contramão, daquilo que todos consideram a mão certa, ou a "mão única".
Estar na contramão,necessariamente não é ir contra todos, por pura rebeldia, mas sim, seguir a direção que você acha coerente, e não apenas seguir o fluxo.
Fomos politicamente educados para seguir o fluxo, não quebrar padrões, não chorar na frente dos outros, casar e ficar para "sempre" juntos,mesmo que este "sempre" nunca tenha existido. Ficar em empregos que odiamos mas que nos dão estabilidade financeira, a mesma estabilidade gasta em medicamentos para conter stress e raiva. Ah, também fomos educados para concordar com pessoas mais velhas, mesmo que elas estejam erradas, afinal, elas são mais velhas e logicamente sabem mais que nós. E o pior, sexualmente falando, fomos finamente e duramente educados para não falarmos disso abertamente, não pronunciarmos a palavra "desejo", fingirmos orgasmos, para não frustar o outro e nós ficarmos frustrados!
Me perdoem os fracos, os "politicamente corretos", os que acreditam em seguir o "fluxo" imposto no mercado. Eu vivo na contramão e não vou sair disso tão cedo. Não mesmo!
Eu quero quebrar padrões, chorar quando me der vontade, rir até doer a barriga em qualquer lugar, falar bobagem, contar piadinhas idiotas, ficar com pessoas que gostam de estar comigo e não aquelas que os "outros" gostam de me ver junto,quero beijar na boca sim,sempre, todo o tempo, toda a vez que sentir desejo...Ah, os desejos...coisa boa desejar! Desejar e ser atendido!  E se não for atendido falar disso francamente, abertamente, para que os desejos futuros sejam atendidos. 
A vida passa tão rápido. Não quero ficar presa a convenções, padrões e rótulos criados por  pessoas infelizes e frustradas. Eu quero tudo aquilo que a vida pode me oferecer. E se eu tiver de virar a esquerda quando todos forem para a direita, se eu tiver de dar ré quando todos quiserem me empurrar pra frente,se eu sentir vontade de parar quando todos querem correr, eu vou sempre ficar na contramão! 
É provável que eu incomode muitas pessoas e receba críticas ferrenhas, mas eu não me importo com o que as pessoas padronizadas pensam. Agora o que vale é o que eu sinto! Só!
Que pena! Que lástima! Fui ser feliz na contramão e não volto!!!

terça-feira, 14 de junho de 2011

Gostar...assuma este verbo!!

Começo escrevendo hoje usando algumas frases de Arnaldo Jabor de Crônica do Amor, quando ele diz: "Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera."
Interessante, porque acontece justamente quando você não está preparado, por sinal, quando você está desarrumado, com aquela pessoa que você nunca olhou com segundas intenções ou que apareceu do nada...
Gostar é verbo! Como verbo requer ação...não dá para gostar sozinho, não dá pra gostar pelos dois, cada um tem sua função. Gostar sem querer nada em troca, gostar por gostar, gostar para sentir em sua plenitude a confusão que ocorre, o salto no coração, a "queimação" na barriga, e isso amigos, não tem idade. Você pode ter 16, 25 o 47...pode ser avassalador ou passageiro, mas ninguém está livre disso, graças a deus!
Mas gostar primeiro depende de você, sim, pasme! Você precise estar aberto ao verbo, estar pronto para conjugá-lo, senão ele passa como um mero substantivo. Para gostar você precisa reconhecer seus adjetivos e encher-se sim, de predicados para então assumir o verbo!
E então vem as melhores conjugações, do "eu" indissoluto passa-se a falar em "nós"... usa-se tudo na quarta pessoa do plural... Engraçado, porque estamos acostumados e fomos quase mimeticamente treinados para sufocar o "eu". Deliciosamente, quebrando padrões, vem um outro "eu" sufocado, interessantemente revoltado, juntos vocês passam a se reconhecer um no outro, com pronomes diferentes!
E aí começam a verbalizar sensações, sentimentos, confusões, sorrisos, olhares, risadas soltas no ar...o tempo passa voando quando estão juntos...não se perde mais tempo, ganha-se tempo junto!
GOSTAR...ASSUMA ESTE VERBO!!!


sexta-feira, 3 de junho de 2011

I Maratona de Monólogos


Vem aí a I Maratona de Monólogos de Gramado. Evento que marca a primeira etapa de conclusão da minha oficina de Iniciação Teatral e Estilos Teatrais em Gramado. Treze alunos mostrarão seus trabalhos no Centro de Cultura (no atelier), espaço alternativo, com direito a comissão julgadora, bate papo, premiação para melhor interpretação, melhor monólogo júri popular e melhor monólogo Júri Oficial.
Dia 8, 9 e 10 de julho, ingressos a R$ 5,00.
Em breve aqui , mais informações e programação.

sábado, 14 de maio de 2011

Coisa minha...

Hoje de manhã saí na corrida e passei pela capela mortuária de carro, pensei: "Está fechada. Ninguém morreu. Coisa boa." Não que eu tenha medo da morte, mas é bom saber quando ela está longe...Pensamento meu em meio a tanto correria, tanto trabalho, tanta coisa pra fazer...
Quinta saí com amigos queridos, entre risos, conversas sérias, apertei as bochechas de um deles que tanto amo e falei tanta coisa, nos abraçamos e quase choramos...Coisa boa, abraçar e chorar em ombro amigo, terra fértil, solo nosso...
Esta semana era terça e parecia sexta, estive cansada, cheia de complicações, problemas de familia que se formaram, sopraram e vieram fazer barulho por aqui...Mas a ventania agita as árvores, elas se movimentam e se tornam vivas...
Sexta me reuni com parceiros de trabalho.Passamos a tarde trancados em um atelier, lendo, estudando e nos inspirando. Entre risos meus com lágrimas (sim, quando dou risada choro ou , bem...deixa pra lá), não é que nos inspiramos mesmo e tivemos ideias para um espetáculo maravilhoso, crítico, ativo, verdadeiro e que veio de encontro as nossas ânsias...
Esta semana o mundo deu voltas, eu girei junto...sofri junto, morri junto, ajudei os meus, fiquei sem outros que eram meus...
Estou lançada em pedaços por aí, ri, chorei, meditei, rezei, senti.Senti tudo. Sonhei coisas que sei que acontecerão infelizmente, coisas minhas...
Estou aprendendo agora a me torturar menos, voltei a ouvir música alta e dançar pela casa quando estou mal, e melhoro rápido. Consegui ler minha pilha de livros empoeirados na beira da cama que há tempos esperavam uma trégua. Limpei a casa, joguei muita coisa fora, me desapeguei.
Troquei meu cachorro por dois gatos (não gosto de gatos)mas estou gostando destes. Troquei de cama, mudei de quarto, saí pela janela.
O teatro...o teatro me distorce, me deixa lúcida, me traz de volta, me leva longe, me coloca em conflito com meus devaneios, me esclarece...me faz conhecer tanta gente, tanta gente que às vezes nem lembro mais o nome, mas  preservo carinho.
O que falta? Tanta coisa...mas não estou na espera, estou no meio do caminho. Exatamente no meio, e agora é hora de pensar que novo caminho pegarei. 
Amorosamente? Bem, me posicionei.Sempre dizia que já sabia o que não queria mais da minha vida, agora sei o que quero, como quero e vou encontrar.
Como diz meu amigo André de SP, você é uma pessoa maravilhosa e merece o melhor. E vou ter!
Mas tudo isso, é coisa minha, coisa pequena, coisa boba, coisa que vem e vai, coisa que sai,coisa ...tanta coisa!!!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

TRANSFORMAÇÕES....

Nestes últimos dias tenho aprendido a não confiar cegamente nos métodos que sempre deram certo: um dia eles realmente podem não dar. Não deram!!!!
Ter planos de contingência, preparar alternativas para situações imprevistas...Preparando!!!
Prever tudo que pode dar errado. E preparar-se para dar! OKOKOKOKOK
Estar atendo às mudanças, não esperar pelas dificuldades para agir. Mudando!!
Muitas transformações ocorrendo com amigos, familia, vida...Uma verdadeira loucura! Cada semana uma situação completamente diferente.
"Tudo te é falso e inútil" - Iberê
Eu pedi e estou sendo atendida...muito bem! Mudanças,aí estou eu, mudando também!!!
É muito importante perceber que talvez não seja possível mudar seus antigos padrões da noite para o dia,mas é possível aprender novos hábitos, basta limpar aos poucos as velhas maneiras enraizadas....
Fui comprar uma "pá" e já volto!!!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

GRUPO ARTIGOS EM SANTA CATARINA

O Grupo Artigos esteve realizando apresentações em Ponte Alta do Norte - SC durante as comemorações de Páscoa.
Foi apresentado o "Chá da Tarde com a Sra. Coelha" espetáculo idealizado por mim em 2010 para o Chocofest e que acabou indo para Santa Catarina. Um casal de coelhos em sua moradia oficial recebe visitantes para um delicioso chá da tarde com bolo de cenoura, história divertidas do Sr. Coelho sobre a história do chocolate e uma divertida sessão de desenhos com tema alusivo à Páscoa. A direção foi de Carla Ferreira ( que também fez a ajudante Cenourete) com Julio Kraemer (Sr. Coelho) e Luana Michel (Sra, Coelha).
Por lá realizamos 21 apresentações de quinta a domingo. Público presente.Histórias e momentos marcantes. Crianças maravilhosas que nos encantamos e nos encantaram com seu carinho...
O nosso respeito e agradecimento ao profissionalismo e competência da Prefeitura de Ponte Alta do Norte.
Público divertido
Fila para nos assistir
Estado de Encantamento

Momentos divertidos


domingo, 10 de abril de 2011

Desculpas para quê?Por quê?Para quem?

Impressionante como somos hábeis para inventar desculpas e fugir de nós mesmos. Temos medo de enfrentar o mundo, inventamos desculpas das mais "esfarrapadas", não mudamos de emprego porque temos um saláriozinho no final do mês que nos dá "garantia", nome bonito para comodismo e falta de coragem, permanecemos casados ou enrolados com pessoas que nem amamos mais, mas afinal é bom ter sexo na hora do desespero e socialmente, aparecer com alguém, é mais "saudável".Usamos os filhos para nos mantermos casados, porque afinal, "coitados", é melhor manter uma aparência do que enfrentar a realidade. Com isso ameaçamos nossa liberdade e sofremos, burramente, cegamente.
Para completar, estudamos cursos que nossos pais querem que cursemos, e deixamos de lado nossos anseios, não vamos nos lugares que realmente queremos conhecer, porque "o que os outros vão pensar"...seguimos regras, padrões, que algum imbecil algum dia criou e todos os estúpidos decidiram seguir, hoje em dia ninguém sabe por quê...
Criamos desculpas para não aceitarmos nossas frustrações, para não engolirmos nosso fracasso, porque disseram por aí, que não se pode fracassar. Omitimos nossos desejos mais profundos, abrimos mão de nós pelos outros...
Para ser feliz é preciso ter muita coragem, muita coragem para dizer o que pensa, para dizer o que sente, para seguir o que se ama, para trabalhar naquilo que se tem talento, para dizermos "não" quando não quisermos algo. Felicidade não cai do céu, assim como todo o resto!É preciso um exercício contínuo de busca diária, temos que abolir nossos medos, que são muitos e nos boicotam, temos que ser honestos com nossos anseios e partir para a "luta"!
Nas últimas semanas tomei uma série de decisões sérias, profissionais, amigáveis, pessoais...tenho vindo num crescente de atitudes e decisões...Me orgulho de olhar para trás e saber que quebrei padrões, não segui as regras, não fiz o que queriam que eu fizesse (não por birra), mas segui sempre o que minha alma me solicitava.
Doeu?Sim...Mas estou aqui, imensamente feliz, ainda controlando meus medos, porque eles sempre existem, cabe a nós não alimentá-los, mas estou firme!
Não me permito mais me desculpar. A vida não pode ser feita de desculpas e sim de decisões. O tempo não nos deixa tempo para perdermos tempo...
Quando você tomar uma atitude de viver bem e feliz, você vai ver, que você naturalmente afastará algumas pessoas, se juntará com outras que você nem imaginava, a vida te colocará em situações novas, inesperadas,com novos desafios que você nem sabia que podia enfrentar.
O momento é de mudança, esteja alerta,pare de se desculpar!!!
Está na hora de criar coragem e SER FELIZ!!!!!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Viajar é preciso...MESMO!!!!

Depois de 5 dias Em Buenos Aires, para entre outras coisas, assistir ao show do U2, deixo algumas divagações minhas por aqui:
A Argentina continua igualzinha a última vez que estive lá: os argentinos ainda tem um atendimento péssimo em  estabelecimentos comerciais, gostam do futebol do Brasil, o táxi ainda é barato, as festas são ótimas, as cervejas maravilhosas, o número de museu aumentou, agora eles tem uma "presidenta", o teatro Cólon depois de 4 anos em reforma, reinaugurou, o el Caminito continua mais colorido do que nunca, o city tour pela cidade ainda é o mesmo...

Essa viagem veio de surpresa, não estava nos meus planos, de repente, havia comprado uma passagem para assistir ao show do U2. As malas foram arrumadas às pressas, 1h antes da van me pegar em casa...uma loucura!
Pessoas que revi, outras que aprecio, outras que comecei a apreciar...Vida loca...loca,loca,loca...
O Show? Maravilhoso! O U2 merece todo o sucesso que tem. Estádio lotado! Filosofia! Músicas, histórias e momentos de "arrepiar". Me emocionei vários momentos.
Nesses 5 dias pensei só na Ísis. Deletei problemas, estresse,...vivi o presente! Difícil pra mim isso!
Saí, ri, bebi, me diverti, olhei tv argentina, comprei alfajor, dancei,chorei...de todos os tipos e todas as formas...
Voltei com uma sensação bem diferente da outra vez. Mais calma! Simplesmente leve! Mesmo colocando os pés no Brasil e como que numa troca de "chip",pum...todos os problemas retornaram e parece em dose dupla.Estou feliz! Simplesmente assim...Ainda não é uma felicidade completa, mas estou feliz por não ter desistido de ir (cheguei a pensar em cancelar), feliz por ter saído o máximo possível, feliz por ter quebrado a rotina e mais feliz ainda por ter feito coisas que nunca pensei que faria...

Para a Argentina agora, só volto se for para apresentar. Já conheci tudo lá que interessava conhecer...
Quero conhecer agora o Chile e Cuba.Meus próximos países a visitar...e claro, quero andar mais pelo meu imenso Brasil.
Como amo ser daqui.Como amo dizer "sou brasileira", como amo nossas riquezas naturais, nossa cultura, nossa diversidade, nossa música...
Obrigado aos Los Hermanos que nos trataram bem (foram pouquinhos,mas especiais)
Sigamos em frente, matando um leão por dia, mas projetando sempre LUZ!
Viajar meus caros, é preciso MESMO!!!!

segunda-feira, 28 de março de 2011

Arrumando as malas

Quarta-feira dia 30 de março estou viajando com alguns amigos para Buenos Aires. Segunda vez que piso nessa cidade linda.
Além de tour, vou estar indo para o Show do U2 (yesssssssssssssssss) e também me inscrevendo em algo muito importante que só vou falar depois de efetivar minha inscrição.
Desta vez quero conhecer o Teatro Cólon (estava em reforma e fechado quando eu fui) e o MALBA (Museu de Arte Latino americano de Buenos Aires) em função do meu curso de Artes Visuais.
De quebra, tirar as férias que não tive, descansar, respirar novos "aires" e voltar com as energias carregadas para o ano doido que ainda vem por aí.
Estou na pilha para o trabalho novo adulto. Fiquei satisfeita com meu novo texto infantil. Agora é deixar o Universo se encarregar do resto, as vontades foram lançadas, os desejos jogados ao vento...
Mi Buenos Aires querido, me voy!!!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Alunos e mais alunos

Turma Adolescente da Coopec
Turma adolescente II Coopec

Turma Adulta

E o teatro toma conta das pessoas...
Mais alunos, mais turmas, maior responsabilidade na formação de pessoas e pessoinhas...
Turma Infantil Gramado

quinta-feira, 10 de março de 2011

Feliz com novos alunos de teatro


Feliz com os novos alunos e as novas possibilidades de esgotar possibilidades de criação. O prazer de criar. O prazer em ser artista e fazer a diferença. Sentir diferente.Olhar diferente. 
Essa é a nova turma de quinta-feira de Gramado. Lugar novo, gente nova, energia renovada.
Este ano muitas supresas. Mostra de monólogos ao público em julho.Montagem farsesca de Moliére, com direito a workshop com o  diretor Gilberto Fonseca do Grupo Farsa de Porto Alegre.
Expectativa! 
Este ano participam da turma:E Paulo Ricardo (Rapadura), João Vitor Fernandes, João Pedro Lipert, Luiz Santos (São Francisco de Paula), Matheus Kohler, Dafne Ecker, Cris Silveira, Luis, Karla Ferreira, Natascha, Susi, Cassiano Velho, Isadora e Tiago Severo.
Assim como o exercício que fizemos, tenho somente uma coisa a dizer:
                                                         "Eu vou tomar um café!"

sexta-feira, 4 de março de 2011

Reinauguração Mundo a Vapor

Otília e Alfredo

Otília e Rosa


Ontem, dia 03 de março fizemos a reinauguração do Mundo a Vapor em Canela.Atores e músicos fizeram interferências no meio dos guias de turismo que estavam presentes. Figurinos de época e textos falando sobre a chegada das máquinas a vapor e da Revolução Industrial foram o foco do trabalho.
Parabéns elenco!
Taíne Dufau e Bernardo Lessing (crianças), Luis Alves, Cristiano Silveira, Julio Kraemer, Carla Ferreira, Alessan Coelho, Julio Zaicoski, Carol Thoen e Snif.
Direção: Rodrigo Cadorin e Lisi Urbani
Ensaiadora: Lisiane Berti
Todo o elenco

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Inscrições Abertas para Oficina de Teatro Adulto em Gramado

Estão abertas as inscrições para minha oficina de Iniciação e Estilos Teatrais em Gramado. Já é o oitavo ano com muito sucesso e muita gente bacana que já passou por lá.
As aulas iniciam dia 10 de março no Atelier, uma sala espaçosa no Parque Hotel, pois o teatro este ano estará em reformas.
O curso tem duração de 8 meses, finalizando com uma montagem teatral.
Deste curso já saíram alunos que foram encaminhados para eventos como: Chocofest, Natal Luz de Gramado (Fábrica, Desfile, Povo da Vila), Festival de Inverno de Gramado, Interferências no Alpen Park, dentre outros eventos (pagos).
A ficha de inscrição está a disposição no site: www.grupoartigos.com.br
Você pode baixá-la e depois de preenchida encaminhá-la para lisiberti@gmail.com
Dúvidas e informações: (54)9679.0422
Merda!!!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Familia: um eterno vai e vem

Você tira férias. Chove durante o período que você resolveu viajar. Pra completar a casa onde você escolheu estar está cheia de gente, seus familiares, sua gente! Gente que você não vê há muitos anos...
Aí você começa a ver a priminha que cresceu, casou e está feliz. O primo tímido que virou homem e agora tem um "corpão". A tia doida que continua doida, o tio desastrado, os novos parentes que você nem conhecia porque não foi aos casamentos ou noivados...uau! A vida passa! Onde eu estava? Eu mudei, eles mudaram, ou tudo continua igual?

Você ri e presta atenção em conversas das quais nunca achou que teria interesse. Você dorme tarde porque fica jogando e bebendo, tentando por em dia a conversa dos anos que se foram.

Mas afinal, quem é você agora? Como seus parentes te veem? A sua familia elástico. Pode acontecer tudo, você pode se mudar de cidade, estado ou país, mas eles sempre estarão lá, indo e vindo...e você sabe onde encontrá-los, basta querer.

Nunca fui apegada em familia até minha filha nascer e eu me apegar a ela. Sou meio filha do vento. Não tenho pouso certo. Não tenho parada. Faço sempre o que me dá vontade na hora. Vou e volto quando quero, sem tapinha nas costas, sem abracinhos de boa viagem.

Pego o carro, a estrada e dirijo. Filmes de vida e familia rodam na cabeça. Fiquei longe demais. Abri mão deles demais e acho que isso me fez mal em alguns momentos.
Familia você não escolhe. Eles vem e vão!

Este ano quero estar um pouquinho mais presente, sem ocupar todo o espaço. Quero visitar quem não visito há tempos...familia não pode ser visitada só em casos extremos ou de morte.

É preciso aproveita-los em vida! rir...chorar...falar merda...ser simplesmente você, sem armaduras, talvez só ataduras dos machucadinhos do tempo que preferiu viver sozinha.

Voltei melancólica mas entendi porque choveu todos os dias que estive na praia com eles...Aproximação!!

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.