Páginas

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Saíndo da Contramão? Nada disso!

Quantas vezes você já esteve em lugares onde se sentiu um peixe fora d'agua? Quantas vezes você foi em festas que todos diziam que era o máximo e você não achava a menor graça? Quantas vezes você acompanhou pessoas para ir em exposições, cinema, teatro onde era a sensação do momento e você achou um verdadeiro saco! Calma,você não tem problemas, você só vive na contramão, daquilo que todos consideram a mão certa, ou a "mão única".
Estar na contramão,necessariamente não é ir contra todos, por pura rebeldia, mas sim, seguir a direção que você acha coerente, e não apenas seguir o fluxo.
Fomos politicamente educados para seguir o fluxo, não quebrar padrões, não chorar na frente dos outros, casar e ficar para "sempre" juntos,mesmo que este "sempre" nunca tenha existido. Ficar em empregos que odiamos mas que nos dão estabilidade financeira, a mesma estabilidade gasta em medicamentos para conter stress e raiva. Ah, também fomos educados para concordar com pessoas mais velhas, mesmo que elas estejam erradas, afinal, elas são mais velhas e logicamente sabem mais que nós. E o pior, sexualmente falando, fomos finamente e duramente educados para não falarmos disso abertamente, não pronunciarmos a palavra "desejo", fingirmos orgasmos, para não frustar o outro e nós ficarmos frustrados!
Me perdoem os fracos, os "politicamente corretos", os que acreditam em seguir o "fluxo" imposto no mercado. Eu vivo na contramão e não vou sair disso tão cedo. Não mesmo!
Eu quero quebrar padrões, chorar quando me der vontade, rir até doer a barriga em qualquer lugar, falar bobagem, contar piadinhas idiotas, ficar com pessoas que gostam de estar comigo e não aquelas que os "outros" gostam de me ver junto,quero beijar na boca sim,sempre, todo o tempo, toda a vez que sentir desejo...Ah, os desejos...coisa boa desejar! Desejar e ser atendido!  E se não for atendido falar disso francamente, abertamente, para que os desejos futuros sejam atendidos. 
A vida passa tão rápido. Não quero ficar presa a convenções, padrões e rótulos criados por  pessoas infelizes e frustradas. Eu quero tudo aquilo que a vida pode me oferecer. E se eu tiver de virar a esquerda quando todos forem para a direita, se eu tiver de dar ré quando todos quiserem me empurrar pra frente,se eu sentir vontade de parar quando todos querem correr, eu vou sempre ficar na contramão! 
É provável que eu incomode muitas pessoas e receba críticas ferrenhas, mas eu não me importo com o que as pessoas padronizadas pensam. Agora o que vale é o que eu sinto! Só!
Que pena! Que lástima! Fui ser feliz na contramão e não volto!!!

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.