Páginas

sexta-feira, 23 de março de 2012

E a vida vai...mas será que volta?

E a vida vai...segue seu rumo, segue seu destino, segue suas crenças, segue seu ritual, mas será que ela volta? Será que ela volta para nos dizer como foi de "viagem"? Se tudo é aprendizado, em algum momento será que ela vem nos informar se as lições foram aprendidas? Não caros leitores, não estou falando de vida após a morte ou reencarnação, apesar de acreditar em ambas... Falo de CONSTATAÇÕES!
Vocês já pararam para pensar que rumo estão seguindo? Que escolhas estão fazendo? Ou deixando de fazer? Se somos testados como saberemos se passamos no "teste". Será que estamos em recuperação constante? Por que algumas situações se repetem? Ah, vida voltando e dando na nossa cara, do tipo: "Ei, não aprendeu ainda? Vai acordar quando?"
A vida também se revolta, tem gênio forte, é arrogante até, não perde tempo, não para por acaso, não acelera sem motivo. A vida sempre vai, e vai longe.Bem longe!
Não acredito que não sejamos senhores supremos de nossas vidas, acredito que tudo está em nossas mãos, cabe a nós decidir como nos locomovemos nesse percurso curto chamado "vida". Nessa jornada, muitas vezes afundamos em nós mesmos e nos soterramos de rancores, preconceitos, egoísmos, acabamos fazendo misérias com nossas próprias mãos e  que é pior, a nós mesmos!
Ontem, antes da minha aula de teatro, sentada em um dos meus refúgios preferidos, (atelier onde dou aula de teatro em Gramado) ouvindo blues escrevi: 
"Ando tão cansada...
Longe, perdida...
Quero encontrar-me novamente!
Dizem que retroceder faz parte
Será mesmo?
Avançar sem avançar...
É assim que me sinto!
Ando tão cansada...
das mesmas pessoas, ruas, lugares...
Repetitivo!
Quero encontrar-me,
não lembro bem onde me perdi ou me deixei perder, onde foi que sumi,
mas ei, ah, ei de me achar novamente!"
Não, não é depressão, indignação...é só uma forma de ser e sentir.
Tristeza também se sente, sem necessariamente ter havido algo grave, assim como a alegria, ela é essencialmente necessária.
Mas os próximos, os "nossos", não entendem, ou talvez entendam melhor que nós que estamos dentro dessa teia de saudosismo...
A minha vida? Ela vai bem obrigada, mas faz tempo que não volta trazendo notícias que me acalentem a alma...Talvez, seja mais uma daquelas brincadeiras de "esconder", quando eu menos esperar, ela aparece, risonha, serelepe, gordinha de felicidade e com muitas "boas novas".
Seguimos! É o que tenho feito incansavelmente todos os dias. Pior que ela não voltar é você não sair do lugar, portanto movimentemo-nos!!!


VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.