Páginas

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Meus temporais internos são ricos!!!





Gratidão! Expresso minha gratidão antes de escrever qualquer coisa. Gratidão pelo que se foi e está perdido, gratidão pelo que agora foi achado. Pelo que era e pelo que realmente é. Pelas nuvens negras no caminho, quantas tempestades eu enfrentei. Nem sempre estava com "guarda-chuva", outras vezes eles nem adiantariam...Os piores momentos da minha "caminhada" foram aqueles que mais me fortaleceram, que mais me fizeram crescer, e se hoje sou algo, e acho que não sou muito, é porque lá trás vieram as turbulências, as separações bruscas, os cortes, as desilusões, os sofrimentos, as perdas sem sentido (que agora fazem todo o sentido).
Gratidão à vida! Por descobrir que é preciso ser fraco para ser forte, que é preciso chorar muito para rir de novo, que é preciso desapegar-se para receber outros presentes, que é preciso recolher-se em si mesmo para voltar aos círculos de pessoas.
A vida não tem regra! A vida não é um jogo de cartas marcadas, mas sim, a vida é curta, e estamos aqui como mero aprendizes...Que eu não precise mais aprender pela dor, que eu consiga ter discernimento, paciência, perseverança, que eu não tenha medos bobos de dar novos passos, ter ficado sozinha durante muito tempo (sozinha de familia, de amores, de amigos mas nunca sozinha de mim) me fez ser mais "gente", mais ser humano, mais verdade menos conceito, mais ar menos ruptura, mais simples menos arrogante. 
Me aproximo e recebo o que preciso. Já aceito sem discutir. Procuro tratar a todos, até mesmo os que não merecem, da mesma forma e ternura, e com o mesmo amor, não me cabe julgá-los. Aprendi a me proteger mais, a falar menos...
Agora espero as nuvens negras, elas sempre aparecem e de desfazem da mesma forma, não me assustam mais. Meus temporais internos são ricos!
Aprendi que independente de mim, ou qualquer coisa o sol sempre volta a brilhar, todos os dias, e não há nada que dure para sempre, inclusive nós! Pequenos, frágeis e tolos em nossa ambiguidade. Tolos seres humanos...perdemos tempo com o que não importa e nos perdemos nos detalhes quando tudo é muito simples e claro. Fácil, nós que complicamos. Não temos coragem de seguir e fingimos ser "flor" quando estamos em puro lodo...pior é o lodo interno! Mas esse, cada um precisa limpar a seu tempo...
Eu vou para o sol! Vou para a vida! Vou por aí rumo ao desconhecido de coração aberto e livre. Não tenho medo de ser quem sou, de dizer "eu te amo" tantas vezes eu acredite que ame mesmo, o amor é meu, dou a quem quiser, recolho, regenero e me entrego. Eis meu processo! Não quero promessas, nem admiração exagerada, quero só verdade e não precisa ser falada, por ser só sentida. Porque eu sempre sinto quem é de verdade!Sempre! Minha gratidão aos "de verdade"...

    

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.