Páginas

sábado, 25 de agosto de 2012

Amor...amor...


Então, alguém sabe afinal o que é o amor? Poetas falam sobre ele há séculos, pessoas passam a vida o procurando e lamentam quando não conseguem. Segundo o site da Wikipédia 
 "A palavra amor (do latim amor) presta-se a múltiplos significados na língua portuguesa. Pode significar afeição, compaixão, misericórdia, ou ainda, inclinação, atração, apetite, paixão, querer bem, satisfação, conquista, desejo, libido, etc. O conceito mais popular de amor envolve, de modo geral, a formação de um vínculo emocional com alguém, ou com algum objeto que seja capaz de receber este comportamento amoroso e enviar os estímulos sensoriais e psicológicos necessários para a sua manutenção e motivação. É tido por muitos como a maior de todas as conquistas do ser."

Interessante definição! Oscar Wilde, um grande dramaturgo, diz que "Não é o perfeito, mas o imperfeito, que precisa de amor" ou ainda, "O segredo do amor é maior do que o segredo da morte."
Ah sim...há segredos no amor, isso há! Há indefinições nas próprias tentativas de definições afinal, as pessoas não são iguais, e o que é amor para um, pode não ser para outro. O amor que deu certo para alguns com suas fórmulas (se é que existem fórmulas) pode não ser tão eficaz para outro casal...
Maria Rita, cantora brasileira maravilhosa, filha de Elis Regina, em música diz que :


"Se perguntar o que é o amor pra mim 
Não sei responder
Não sei explicar
Mas sei que o amor nasceu dentro de mim
Me fez renascer
Me fez despertar
Me disseram uma vez
Que o danado do amor
Pode ser fatal
Dor sem ter remédio pra curar
Me disseram também
Que o amor faz bem
E que vence o mal
E até hoje ninguém conseguiu definir
O que é o amor

Quando a gente ama, brilha mais que o sol
É muita luz
É emoção
O amor
Quando a gente ama, é um clarão do luar
Que vem abençoar
O nosso amor"
E para mim? O que significa amor pra mim? Bom, hoje eu penso bem diferente em relação ao amor. Na adolescência eu confundia paixões avassaladoras com amor, não era. Acabei descobrindo das piores formas. Então achei que o pai da minha filha seria meu amor, ate foi um tempo, mas era uma amor diferente e acabou de uma forma tão ruim, amarga, e penso hoje, será que era amor mesmo? Aí passei anos procurando o amor em pessoas e lugares errados e nem sei se era amor o que buscava ou apenas companhia. Então, sem saber, de mansinho, ele apareceu de novo em minha vida, e desta vez, completamente diferente, calmo, respeitoso, carinhoso, forte, intenso...e eu não entendi essa mudança. Fiz a burrada de compará-lo com amores passados e agir da mesma forma, e isso não foi bom! Amor é único, sem fórmula ou acabamento. Ele não vem pronto, se constrói a dois. Troca! De ideias, de sensações, de sentimentos, e claro, entrega! Você precisa correr o risco! E esse é um risco só seu, não pode jogar a culpa no outro, porque ele, ele também se arrisca. Abrir nossa caixa de memórias e mostrá-la ao outro, com todos os nosso defeitos e virtudes é difícil, quase doloroso. Nos expor e expor quem verdadeiramente somos, é algo muito complicado. Mas o outro quando nos ama de verdade, nos recebe de braços abertos, nos emociona com bobagens, nos entende sem que precisemos falar, nos ouve quando mentimos que não precisamos ser ouvidos, nos dá carinho, quando fingimos que não precisamos...amor eu acho que é isso... Não ter medo de "estar", apenas "ser" e sentir, tudo o que vem com ele. Não enganem-se que com o amor só vem coisas boas, não! Ele não é perfeito! Ele também traz suas "nhacas" e não tem como não trazer, afinal somos apenas seres humanos e na ânsia de acertar, vivemos errando. Ainda há muito o que aprender com ele e sobre ele. O importante é nunca barrar o amor, deixe ele entrar na sua vida, o receba bem, trate com carinho, pelo tempo que tiver de ser...pois ele também tem prazo de validade, ele também se esgota, ele também cansa, ele também sofre, ele também chora, fica triste, desiludido, amor não é estranho, brota de nós mesmos, de dentro sabe, e como tal, precisa sair, precisa ser compartilhado. Não da para amar sozinho! Mas também meus amigos, não dá mesmo para viver sem ele, principalmente depois que você conheceu seu "gostinho".
Seguimos amando então?






VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.