Páginas

sábado, 20 de abril de 2013

Coisas boas estão por vir...


As pessoas sempre acham que te conhecem, que são próximas, íntimas o suficiente pra vir te "aconselhar", dizer aquelas frases feitas de solidariedade, dizer que "foi melhor assim", dizer que "já passei por isso, sei o que sente", ou dar um veredito final "esquece", "segue outro caminho". Na ânsia de ajudar esquecem de nos ouvir, esquecem que não podemos atropelar o que somos, quem somos e o que sentimos. Algumas nem fazer por mal...Outras adoram tocar no assunto para ver como você reage, se fica sem jeito e tal...
Graças a deus que somos seres únicos, capazes, fortes na essência e quando nos esquecemos disto a vida vem e nos mostra que precisamos evoluir, seguir o caminho que nos comprometemos a trilhar, a missão com a qual nos responsabilizamos. E então ela nos tira de "circulação", como seres frágeis que somos, sofremos porque nossa ignorância não nos deixa entender. E não, não temos que entender nada, temos que aceitar e seguir, porque não dá para ficar esperando que as soluções caiam do céu, que a dor vai estancar de um dia para o outro, que o amor vai acabar de um dia para o outro (apesar de já ter ouvido isso não acredito que se ele for de verdade acabe assim), que Deus não seria terrível com as criaturas que ele mesmo criou, que nada é para nosso mal...
Filosofia? Talvez...Aos pouquinhos a gente vai entendendo algumas coisas, vai sentido outras tantas, vai se desvencilhando de velhos pré-conceitos, ouve uma frase solta aqui, recebe um elogio lá e percebe que a vida só te dá aquilo que você projeta. 
Nunca me perdi da minha essência, dos meus valores, da minha sensibilidade e intuição...nunca deixei de ser quem realmente sou, sempre estive comigo, sempre! Duvidei muitas vezes de quem eu era, mas sempre me reencontrei em mim...e me amo! Me amo pelo que sou, como sou, de onde vim, tudo que já fiz, alunos que ensinei, pessoas que trabalhei, textos que escrevi (assim como este), e nunca, nunca passei por cima de ninguém, nunca tratei mal, inclusive nos relacionamentos...dos piores aos melhores, nunca mudei pra agradar, nunca deixei de dar minha opinião, nunca deixar de fazer nada do que fazia, sim, eu cedi assim como eles, mas sempre sendo EU. 
Agora me deparo em um novo momento da minha vida, com novas escolhas, algumas que fui obrigada a fazer, sozinha de novo, trabalhando sozinha, morando sozinha, vivendo sozinha, amando sozinha, atuando sozinha, escrevendo sozinha...mas não sozinha de mim. Se é que me entendem...Um momento difícil por um lado, mas tão rico de descobertas nessa introspecção toda. Tão rico de ideias, de criação, de silêncios...de chuvas...de cafés pensativos, de música alta, de dança, de poesia, de riso fácil, de lágrimas bobas que aparecem de vez em quando...Já não sofro como outrora...entendo as coisas de um outra ângulo e mesmo que todos me digam milhões de coisas, ainda escuto meu coração, afinal ele está comigo desde o dia que nasci. Ele sabe de mim, ele me conhece, ele me escuta, ele me diz...vou contra tudo e todos sim! Porque a voz do meu coração sempre falou mais alto! No trabalho, na familia, nos amores, e sei que muitas vezes isso teve um preço alto e doloroso, mas ao mesmo tempo libertador!
E eu vou assim...bem desse jeitinho, seguindo, andando, devagar, com mais calma, chorando sim quando sinto vontade, rindo de coisas bobas, sendo desastrada nos afazeres domésticos como só eu consigo ser (esses dias bati a cabeça na estante ao ligar o dvd, arroxou e ficou ridículo, não acreditei que consegui essa façanha). Minha vida! Minhas escolhas! Meu amor! Minhas dores! Minha bagagem de vida! E onde todos veem coisas ruins, fins eu vejo recomeços, inclusive de uma nova Lisi. Uma Lisi que eu sempre escondi, e sufoquei por anos...
E olha, amigos e nem tão amigos assim, num futuro bem, mas bem próximo eu vejo só coisas boas. Me desculpem, mas é o que meu coração diz, agora é só uma pausa dolorosa e estratégica para o que virá e já está a caminho...



E pra mim...estas "grandes" são as mais simples que tanto sonhei...

Nenhum comentário:

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.