Páginas

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Gente Tóxica...Deus me livre!!!

Final de ano. Trabalhos a mil. Conhecendo várias pessoas de diversas realidades, cidades e claro, energias. Energias bem diferentes da minha...Algumas acrescentando, outras derrubando. No meio deste bombardeio, tomo fôlego, levanto a cabeça e sigo. Tenho aprendido a me proteger mais, a brigar menos e voltar a me divertir como sempre. Assumi cargas que não eram minhas este ano, cargas que atrasaram meu caminho mas também que me fizeram escolher novos caminhos. Conheci gente tóxica. Gente poluente. Gente aderente e que não havia jeito de desgrudar...Mas depois de todas essas gentes,me tornei mais gente, aprendendo com o meu lixo seletivo.

                                                              
Na imagem acima, obra Portrait of Alice Liddell after Lewis Carrol do maravilhoso paulista Vik Muniz, famosissímo no mundo todo, ele trabalha releituras com lixo, geléias,gomas e materiais completamente diferentes para criar arte. Talvez esteja na hora de eu remexer no meu lixo interno, seja ele plástico, orgânico ou de papel e me reinventar como artista. Como pessoa. Como ser Humano. Não consigo mais fazer arte por passatempo, por dinheiro ou somente arte por arte.Necessito urgente encontrar o novo, seguir minha verdade, colocar emoção visceral nas coisas que faço e atuo. Eu preciso me reciclar!
Mas mexer com lixo, ainda mais o lixo interno tão bem enterrado, requer prática, cuidados essenciais e muita ousadia! Pois se você não mexer direto pode dispertar odores e dissabores.
Minha única meta em 2011: agir mais com o coração. E gente tóxica, Deus me livre, mas não quero mais no meu caminho. Se puder, quero colocar na lixeira do vizinho.


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Do filme: Entre o Céu e a Terra

"Nós estamos sempre entre o Sul e o Norte...
Entre o Leste e o Oeste...
Entre a Paz e a Guerra...
É nosso destino estar entre o Céu e a Terra...
Quando resistimos ao destino,nós sofremos.
Quando o aceitamos, somos felizes.
Temos tempo em abundância...
Temos a eternidade para repetir nossos erros;
E precisamos corrigir os erros só uma única vez para ouvir a música da iluminação.
Se os mestres estiverem certos, e tudo tem um motivo, então o valor do sofrimento é aproximar-nos de DEUS, ensinando-nos a ser fortes quando somos fracos; corajosos quando temos medo; sábios em meio ao tumulto, e deixar o que não podemos mais reter."

E há tanto para não reter, tanto para não sofrer, tanto para não ser fraco, não ter medo...Em meio as lutas diárias somos empurrados a cada dia perto do abismo. Temos duas escolhas: dar o passo e aventurar-se ou estagnar...Sim, repetimos erros, padrões e sofremos absurdamente e dolorosamente por coisas já sofridas que deveriam ter sido aprendidas. Nossa ignorância talvez, seja nosso escudo. Mas agora é tempo de desarmar-se pois guerras são ganhas no coração e não de terra em terra, guerras são para fracos que lutam contra si...Nossa maior batalha e contra nós mesmos, contra nossos boicotes interiores, contra nossos sonhos...ah, como vamos contra eles...contra nossas vontades...Mas aprendemos sempre, seja com amor ou pela dor... Durante anos eu aprendi pela dor...agora comecei a ser menos inimiga de mim e aprendo com amor...Dói menos...

                                              Foto de Mário Cravo Neto (baiano maravilhoso)

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.